Vamos de dicionários: em defesa do galeguismo

Leio em Xornal que Anxo Quintana afirma que o BNG é “nacionalista e progressista, por esta ordem”. Como decote, duvido se ‘nacionalista’ é a palavra mais adequada e não se deveria recuperar a palavra ‘galeguista’, que data já de antes do velho Partido Galeguista (actualmente integrado no Bloco; não o confundamos com o engendro).

NACIONALISMO

D. da Priberam: s.m. preferência, por vezes exclusiva, por tudo o que diz respeito à nação de que se faz parte; doutrina política (ou do partido político) que faz desta preferência o seu programa de acção; patriotismo.

D. Estraviz: s.m. (1) Doutrina política que reivindica o direito dos povos com personalidade histórica determinada a se constituir em naçom. (2) Doutrina que subordina a política de um país ao desenvolvimento e grandeza do poderio nacional, concebido como um absoluto. (3) Preferência exaltada por todo o que é próprio da naçom à que se pertence, por vezes com exclusom de todo o demais. (4) Política de nacionalizaçom de todas as actividades políticas, económicas, culturais, etc., de um país. Sinóns. Integralismo, patriotismo.

D. RAE: 1. m. Apego de los naturales de una nación a ella y a cuanto le pertenece. 2. m. Ideología que atribuye entidad propia y diferenciada a un territorio y a sus ciudadanos, y en la que se fundan aspiraciones políticas muy diversas. 3. m. Aspiración o tendencia de un pueblo o raza a tener una cierta independencia en sus órganos rectores.

GALEGUISMO/GALLEGUISMO

D. da Priberam: s.m. qualidade, modos, ditos de galego.

D. Estraviz: s.m. (1) Doutrina política que reivindica o direito dos povos com personalidade histórica determinada a se constituir em naçom. (2) Doutrina que subordina a política de um país ao desenvolvimento e grandeza do poderio nacional, concebido como um absoluto. (3) Preferência exaltada por todo o que é próprio da naçom à que se pertence, por vezes com exclusom de todo o demais. (4) Política de nacionalizaçom de todas as actividades políticas, económicas, culturais, etc., de um país. Sinóns. Integralismo, patriotismo.

D. RAE: 1. m. Locución, giro o modo de hablar propio de los gallegos. 2. m. Amor o apego a las cosas características o típicas de Galicia.

Comparemos o dito do ‘galeguismo’ sobre o ‘espanholismo’ e o ‘portuguesismo’…

PORTUGUESISMO

D. da Priberam: s.m. locução peculiar à língua portuguesa.

D. Estraviz: s. m. (1) Locuçom ou palavra peculiar à língua portuguesa. (2) Modo de pensar ou sentir próprio de portugueses. Sinón. Lusismo.

D. RAE: 1. m. Voz o giro propio de la lengua portuguesa.

ESPANHOLISMO/ESPAÑOLISMO

D. da Priberam: s. m., locução própria de espanhol; carácter, usos e costumes espanhóis; acto de espanholizar-se.

D. Estraviz: s. m. (1) Uso ou costume espanhol. (2) Imitaçom dos costumes espanhois. (3) Amor a Espanha. (4) Castelhanismo, palavra ou frase da língua espanhola.

D. RAE: 1. m. Amor o apego a las cosas características o típicas de España. 2. m. hispanismo. 3. m. Carácter genuinamente español.


epanholismo_pernicioso
O que podemos deduzir de tudo isto? Eu, ao menos, deduzo que a palavra ‘galeguismo’ é muito mais precisa e menos vaga do que ‘nacionalismo’. Ainda, e comparando com termos irmãos, vemos que o sentido que parece querer dar Quintana é muito mais acertado com ‘galeguismo’.

O problema, como sempre, é que o ‘galeguismo’ é um termo que ficou proscrito polos próprios galeguistas ao usurparem personagens como Fraga a legitimidade do termo (“o Partido Popular é un partido de liña galeguista”), fazendo-o confundir com um vulgar ‘regionalismo’.

Na minha modesta opinião, recuperar e dignificar a palavra ‘galeguismo’ é um deito de desespanholizar-se (atendendo à definição ‘espanholismo’ do D. da Priberam).

NOTA: este é o post 200 em Madeira de Uz.

www.000webhost.com