Neste Natal, deixa o Apalpador entrar no teu fogar

20081107_leandro_o_apalpador_gNeste Natal (denominação cristã para as festas do solstício de inverno), deixa o Apalpador entrar no teu fogar.

E dirás… quem é esse Apalpador, que tem nome de pederasta? Pois antes de mais, livra a mente de preconceitos e maus pensamentos.

O Apalpador é uma figura tradicional do leste da Galiza e praticamente já perdida. Tem a feitura de um gigante de roupas estragadas e cabelos ruivos que na noitinha de 31 de Dezembro desce das montanhas às casas apalpar as barriguinhas das crianças. Se estão bem mantidinhas, deixa-lhes umas castanhas e despede-se deles com o desejo de que continuem assim, ou seja, bem alimentados. E se não têm o bandulho cheio? Pois deixa-lhes também umas castanhas para que o encham. Vamos… adorável!

Em base às descrições logradas por José André Lôpez Gonçález por zonas da Galiza leste (Courel, Lôuçara, Zevereiro…), o desenhador Leandro Lamas elaborou a caracterização que veis à direita deste artigo.

Segundo José Lôpez, estes seriam os principais atributos físicos do mito segundo descrições logradas a começos da década de ’90:

Mora nas devesas dedicado em fazer carvão, um gigante que usa da boina, casaco esfarrapado e com remendas, fuma em pipa e alimenta-se com bagas selvagens e dos javaris […] que caça.

Em 2006 José Lôpez divulgou no PGL as informações sobre o Apalpador de que dispunha, e em 2007 da Gentalha do Pichel começaram a sua recuperação, chegando mesmo a serem noticiados na Rádio Galega.

Este ano, ao mesmo labor contribuem outros colectivos e centros sociais do país. E olho, que as actividades não são apenas na rua, mas também no Facebook, com grupos como O Apalpador quer ser o teu amigo.

Seguro que não sou um iluso se penso que em 2009 o Apalpador será ainda mais conhecido… quem sabe, se calhar algum dia a tradição é tão conhecida como a do Samaim 😉

E que melhor jeito de começar o 2009 que com um calendário do Apalpador? Pode-lo conseguir aqui num PDF de alta qualidade.

NOTA: artigo publicado automaticamente desde Madrid.

  • Pois ánimo aos que están a difundir esta proposta! Quen sabe, talvez no futuro, cando pase as festas cos meus pequenos, esperarei ter suficiente información e textos de referencia para poder sementar neles un bocadiño desa ilusión que vai ligada á inocencia da infancia. Sempre ten máis sentido nunha familia galega unha tradición propia (mesmo recuperada) antes do que un simple fenómeno de consumo.
    Unha pregunta… Xa o notou máis xente ou só mo pareceu a min: a caracterización dese apalpador non ten un certo toque de “entrañable” vello irlandés (non o digo polas burbullas, xa se ve que é fume da pipa). 🙂

  • gabs

    Eu gosto muito do desenho de Leandro, mas tenho que dizer a verdade: Gostei muito mais do Apalpador de verdade xD xD xD

    • He, he, he 🙂 Homem, pessoalmente só conheço duas pessoas que pudessem dar um bom Apalpador… Por circunstâncias vitais uma delas estava longe de Compostela nestas datas, polo que só me quedava outra e… abofé que deu um excelente Apalpador :))

www.000webhost.com