Analisando a electrocussão da língua galega

ElectrocussãoHá tempo que tinha reparado nisto, mas nunca me deu por dedicar-lhe um artigo… Ao menos nunca antes de ter estalado a guerra normativa.

  • Português: electrocussão (igual que percussão, discussão, excussão…), do latim electru+cussione
  • Castelhano: electrocución (diferente de percusión, discusión, excusión…)
  • *Galego: electrocución (igual ao castelhano)

Um outro exemplo de galego-língua-independente seria…

  • Português: analisar (como análise), do grego analysis
  • Castelhano: analizar (diferente de análisis)
  • *Galego: analizar (igual ao castelhano)

Não direi mais nada 😀

  • creo que “analisar” foi normativo en galego unha temporadiña… se non durou, por algo será 😛

    “electrocusión” parece ou galego seseante ou galego chacho 😛 😀

    a culpa é de vostedes que odian o fonema “theta”, inexistente en portugués pero presente, mal que lles pese, no noso idioma.

    chincha 😀

    • Deveu ser “normativo” na época em que Alonso Montero escrevia “leituras” 😀

      Para defenderes “electrocución” não tens argumentos fora do que seria trollear? XD XD XD

      • eletrocussão non?
        non perde o c coa reforma trapalleira esa que lle fixeron ao portugués?

        abaixo o acordo ortográfico!
        protesten por esa trapallada, que iso si que é grave!

        • Sim, perde o primeiro “c”, mas enquanto os mecanismos de correcção ortográfica do Firefox, WordPress, etc., não se actualizarem ao Acordo, eu vou demorar um chisco a minha adesão 😉

  • one2

    galego: paralisar
    castelão: paralizar

    • galego: paraliZar
      non confunda
      😛

      en portugués aínda que se escribe paralisar, analisar, a letra “s” lese como fonema /z/

      • Quem confunde é a RAG. Seguindo os critérios etimológicos, porque “analysis” e “paralysis” dão “análise” e “parálise”, mas os verbos *”analizar” e *”paralizar”. Alguma explicação coerente?

  • Em português de Portugal, teoricamente “paralizar” e “paralisar” lêem-se igual, mas nem por isso defendemos a grafia “francez” por “francês”, ou? 😀 À parte, se o galego isolacionista defende pronúncias diferentes para as letras “z” e “s”, deveria explicar porque os isolacionistas devem ler “paralithar” por “paralissar” 😀

  • olizinho

    perdoem que me meta, mais, fonema theta? nom na minha terra dende logo, eu entendo a discussom dende o ponto de vista gramatical, pois o fonético, polo barbança nom tem discussom algumha: analise=/analise/ analizar=/analisar/ 🙂

    • Só faltaria que pedisses permissão, Olizinho! Podes entrar até à lareira, que a porta está aberta :D!

  • “Podes entrar até o office” quedaríache máis moderno 😀 😛

    e vaia pensando e crear o tag: thetas 😀

  • one2

    a pronúncia doutros sítios é irrelevante.

www.000webhost.com