Reintegratas censurados e enciclopédias falsamente livres

Na sequência de uma interessante discussão chuceira (motivada por isto), reparei (mais uma vez) em dous factos realmente preocupantes. Um deles, é que um galego (mesmo um galego de bem) passa a ser um apestado no mesmo momento em que adere o reintegracionismo. Outro, que a chamada Galipedia ou Wikipédia em galego isolacionista não é mais galega do que, por exemplo, La Voz de Galicia (editado na Galiza mas focado para a Espanha e em castelhano) ou o Dicionario Xerais (praticamente tradução literal do Diccionario de Anaya, salvando as palavras especificamente galegas).

Como o que vou dizer trará equívocos e confusões, já digo que as críticas deste artigo não vão dirigidas a nenhuma pessoa em concreto. Só direi que, casualmente, reparei em que uma poetisa que há dez anos ninguém conhecia (mesmo muita gente hoje nem a conhece), e com uma produção bastante reduzida (quatro poemários, o resto vai em volumes colectivos) conta com artigo próprio nessa enciclopédia.

guisanPorém, não acontece o mesmo com João Guisán Seixas, dramaturgo nascido na Corunha em 1957, com uma obra galardoada com até seis prémios quando se chamava Xan, Xohán ou Xoán (que com todos esses nomes assinou trabalhos), e zero desde que mudou para Joám e posteriormente João.

Se tristemente é habitual o ostracismo na vida cultural galega por razões tão patéticas como a ortográfica, chegando o próprio Guisán a ver-se na obriga de desmentir a sua morte, não é menos penoso que uma enciclopédia em linha e colaborativa pratique a mesma censura negando-lhe uma página ao alegar que existem poucos dados biográficos sobre ele e que as biografias disponíveis (mesmo quando explicitamente estão liberadas) atentam aos direitos de propriedade intelectual de sei lá quem. Enfim, já sabemos que os critérios dessa wikipédia (como os das suas irmãs, não o neguemos), são tão flexíveis que enquanto isso é punido —como também se pune que um sócio da reconhecido da AGAL contribua para melhorar o patético artigo que lhe dedicam (penalizado por suposta “vanglória“)—, um reconhecido administrador dessa enciclopédia pode criar um artigo dedicado a uma (também reconhecida) amiga pessoal e companheira de trabalho.

E não deixa de ser também patético que quando a obra premiada de João Guisán (seis prémios, lembremos, por não falar do resto da sua ingente produção artística) foi em galego isolacionista, apareça nessa wikipédia como parte de uma listagem de “autores de língua portuguesa” (ainda que naturais da Galiza):

guisanseixasaportuguesavs0

Infelizmente neste caso não resulta doado pensar na boa fé de alguém que, partindo de postulados reintegracionistas, considere Guisán Seixas merecedor de ser galego e em consequência autor em língua portuguesa. Julgo, mais bem, que é um acto de hipocrisia e manipulação.

Por certo, se alguém ainda acredita que a gl.Wikipedia se move por critérios galegos… vejam o artigo sobre os Reis da Galiza:

Afonso VIII, Afonso X… e Afonso IX caíu polo caminho? Segundo a nomenclatura galega, o mal chamado Afonso X ‘O Sábio’ tinha de ser Afonso IX (ou ao menos isso é o que me tinham ensinado no instituto). Vícios de mirar pola Enciclopedia Salvat, seguro 😀

afonsoscp3

Artigos relacionados:

  • pregunto: e os autores reintegratas non son autores en lingua portuguesa? cal é a ofensa?
    de feito a AGLP é a Academia Galega da Língua Portuguesa…

    • Galeguzo

      Alema, acho que no artigo já me antecipei à tu pergunta:

      Infelizmente neste caso não resulta doado pensar na boa fé de alguém que, partindo de postulados reintegracionistas, considere Guisán Seixas merecedor de ser galego e em consequência autor em língua portuguesa. Julgo, mais bem, que é um acto de hipocrisia e manipulação.

  • Albert

    Unha asociación non pode face-lo artigo da súa propia asociación. Vai contra un dos piares da Wikipedia: a neutralidade. Por iso este tipo de edicións están totalmente prohibidas. (se deixáramos ó PP face-lo seu propio artigo estarías dacordo pois, ou dirías que a galipedia está en connivencia coa dereita españolista?). A neutralidade é un dos 5 piares da Wikipedia.

    Respecto ós erros que poida haber na Galipedia, calquera é ceibe de arranxalos mentres xustifique os trocos con referencias, ninguén pode revisar corenta e pico mil artigos. Semella unha patalexa ben de cativos esta.

    • Irei por partes, Albert.

      Por um lado, a pertença a uma associação não é o mesmo do que a personificação dessa associação. Se eu sou parte, por exemplo, de Verdegaia (que não é o caso), vetaria-se-me poder contribuir na biografia de Xan Duro? Porque há administradores da gl.wikipedia mililtantes reconhecidos de partidos políticos que colaboraram em artigos directamente vinculados a esses partidos.

      Sobre os erros, imagino que mais do que ceive a gente será livre para subsanar os erros. Mágoa que ninguém o faça e que as discussões da Taberna tenham menos nível que uma discussão taberneira na qual os administradores passam sistematicamente por onde começam os cestos as opiniões discrepantes sem que valham de muito a lógica e os argumentos.

      Curiosamente, e ainda que bastante tarde, parece que na gl.wikipedia há agora mesmo um debate aberto sobre quais devem ser os critérios para apagar um artigo… Mas sou céptico partindo de gravosos precedentes, como o do administrador (ou seja, pessoa de confiança e respeito na comunidade) que todos conheceis que criou o artigo de uma amiga sua.

      O de corrigir os erros aportando referências já o têm feito muitas pessoas . O resultado? Tiveram de abandonar o projecto devido aos boicotes sistemáticos e censura de conteúdos, justificando-a muitas vezes em que um dado ou outro não aparecia em determinadas enciclopédias do papel…

      Se tu vês em todo isto “patalexa ben de cativos”, exibes à perfeição o nível de auto-crítica da gl.wikipedia…

      • Não sabes de quem falo? Bom, se calhar não há mais cego que o que não quer ver. Comentei um caso concreto com várias pessoas e todas davam por feito que sabíeis claramente dessas filiações, porque são bem doadas de comprovar. Se os de fora da gl.wikipedia sabemos mais dos seus administradores do que as pessoas que lhes concedem os ditos privilégios… dá para rir a cousa. Tomai nota: não deis permissões a ninguém que não conheçais em pessoa.

  • A verdade: Culpa tua por procurares na galipedia. Que como quase todo a pseudo-cultura xalexa é umha mimese da espanhola: Informaçom sesgada, bibliotecários sectários e sobretodo, conteudo pobre.
    De mirar umha wikipedia (cousa pouco recomendável como fonte primária de informaçom), a original em inglês e ponto.

    • Homem, as eivas da gl.wikipedia são, polo geral, comuns aos seus projectos irmãos, a começar pola informação sesgada e os bibliotecários sectários. Depois continua por ser uma mímese (em muitíssimos aspectos) da espanhola, em particular no que diz respeito da historiografia (totalmente subsidiária, já que as fontes acreditadas são ou bebem directamente das espanholas).

      E depois continua com uma censura total e absoluta ao reintegracionismo, sobretudo no âmbito literário, censurando por sistema qualquer artigo relacionado com isto acusando-o de “vanglória” (muitas vezes sem provas), “irrelevante” (por não aparecer nas enciclopédias de papel) e em ocasiões por serem textos com licenças “não válidas” (mesmo quando o autor os cedeu explicitamente).

      Como parte dessa censura objectiva, imaginemos que eu coloque algures que Xavier Alcalá foi o primeiro presidente da Associaçom Galega da Língua. Cuido que esse dato não aparece em nenhuma enciclopédia do papel, como tampouco aparece no correspondente artigo sobre a AGAL (//gl.wikipedia.org/wiki/AGAL) e procurando na internet cuido que é difícil encontrá-lo (devem contar-se com os dedos de uma mão os sítios onde possa figurar esse dado).

      O João Guisán Seixas é um outro exemplo da censura. A manipulação no de Carvalho Calero, mais do mesmo. O artigo sobre Olivença (“Olivenza”), que parte da visão espanhola, também. E poderia seguir com muitíssimos mais exemplos.

  • Homem, as eivas da gl.wikipedia são, polo geral, comuns aos seus projectos irmãos, a começar pola informação sesgada e os bibliotecários sectários. Depois continua por ser uma mímese (em muitíssimos aspectos) da espanhola, em particular no que diz respeito da historiografia (totalmente subsidiária, já que as fontes acreditadas são ou bebem directamente das espanholas).

    E depois continua com uma censura total e absoluta ao reintegracionismo, sobretudo no âmbito literário, censurando por sistema qualquer artigo relacionado com isto acusando-o de “vanglória” (muitas vezes sem provas), “irrelevante” (por não aparecer nas enciclopédias de papel) e em ocasiões por serem textos com licenças “não válidas” (mesmo quando o autor os cedeu explicitamente).

    Como parte dessa censura objectiva, imaginemos que eu coloque algures que Xavier Alcalá foi o primeiro presidente da Associaçom Galega da Língua. Cuido que esse dato não aparece em nenhuma enciclopédia do papel, como tampouco aparece no correspondente artigo sobre a AGAL (//gl.wikipedia.org/wiki/AGAL) e procurando na internet cuido que é difícil encontrá-lo (devem contar-se com os dedos de uma mão os sítios onde possa figurar esse dado).

    O João Guisán Seixas é um outro exemplo da censura. A manipulação no de Carvalho Calero, mais do mesmo. O artigo sobre Olivença (“Olivenza”), que parte da visão espanhola, também. E poderia seguir com muitíssimos mais exemplos.

  • berto

    aquí vai a miña aportación a este interesante tema:

    lloricas lloricas que el culo os pica

    • O comentário de acima foi “customizado” com um “lindo capirote” a pedido de Berto 😀

  • berto

    aquí vai a miña aportación a este interesante tema:

    lloricas lloricas que el culo os pica

  • berto

    jajajajaja

    touché

  • Albert

    Pois non sei de quen falas. Eu non coñezo ningún administrador que recoñecera a súa filiación a partido algún. Saberás máis ca min, non sei. Sobre o de corrixir erros aportando referencias e que foron boicoteados non coñezo, de novo, ningún caso, mais saberás máis ca min.

  • Coma non vos queren na wiki portuguesa, e iso que a norma reintegrata é calcada ó portugués; pois entón vindes toca-los collóns á Galipedia, facendo artigos parciais ou nos que estades implicados directamente, acusando á Galipedia de censurar cando fostes censurados na wiki portuguesa…

    Os erros que poida te-la Galipedia son os mesmos que pode te-la portuguesa ou a francesa (por ex.) e dende logo non ten nin a milésima parte de problemas cá española.

    Que a Galipedia é un ‘calco’ da wiki española, desgraciadamente case tódalas wikis son un ‘calco’ da inglesa (sacando a francesa, a alemá, e un par delas máis), entre elas a portuguesa e a española, e a Galipedia ten algo a favor, non usa a tradución simultanea do xeito tan masivo, tal coma fan a pt. e a es.

    Douvos un consello, aínda que vai caer en saco roto, normalmente é moito mellor construi-lo que é dun que ir desfacelo que fan o demais, coma dixen noutros foros, os reintegratas deberiades face-la vosa wiki, aporta-lo voso traballo á vosa causa e a ver que pasa, por que non ides convencer a ninguén polo camiño que estades a seguir…

  • Pingback: :: madeira de uz | Clube do humor!()

www.000webhost.com