Irmandade…

A de ontem foi uma noite mágica. No Centro Social O Pichel festejeou-se o 90º aniversário da Assembleia Nacionalista de Lugo, histórica juntança na qual se sentaram as bases do projecto nacional galego.

Após uma ceia tipicamente patriótica (essencialmente, churrasco, como deve ser :-D), o amigo Bernardo Penabade ocupou-se de dar início ao festejo propriamente dito. O seu discurso (já avisou que seria polémico) advogou não pr realizar projectos nacionais, «porque o projecto de nação já foi feito há 90 anos», mas por fazer realidade esse projecto.

Logo veio o concerto d’A Quenlla, ou seja, Mini e Mero, os quais ameniçaram a noite com o seu bom fazer nmusical e os variados registos das suas vozes (algo cansas, pois passaram todo o dia a cantar e a gravar), e entre peça e peça relataram não poucas anedotas das quais acho que deveríamos aprender algo.

Coincido com o Bernardo em que o espírito de irmandade foi algo que ficou às claras na festa. Falo, ao menos, por mim, que tive o privilégio de partilhar mesa com o Suso, Fer, Postcriptum ou O’Xirarei, entre outra magnífica gente.

000webhost logo