Viva

A fotografia daqui abaixo foi realizada no passado 14 de Outubro às 20h03 num muro da parte de trás da Faculdade de Filologia de Santiago de Compostela. Como daquela já era de noite, ou polo menos estava bastante escuro, tive de incrementar notavelmente o contraste e luminosidade da imagem original (atirada com um telemóvel) para que se possa perceber o lema desta pixação (ou grafito).

viva

VIVA.

O tema, a mensagem, suscitou-me a um tempo um monte de sensações, interpretações… e tudo acabou entre o paroxismo, o surrealismo e o sarcasmo (sem -ismo). O que pode significar esta palavra calcada sobre o cemento em esprai vermelho (sim, o original é vermelho)?

Como já tenho feito outras vezes, achego uma série de possibilidades.

  1. É uma pixação inacabada… talvez interrompida por alguém que por ali passou.
  2. É o primeiro que se lhe ocorreu a alguma mente bêbada.
  3. O autor ou autora é de natureza preguiçosa e optou por voltar outro dia acabar a mensagem.
  4. É uma mensagem em si mesma.

Desde logo, postos a escolher, acho que a opção mais próxima da realidade é a 1, porque a 4 seria, na minha opinião, de uma genialidade (e originalidade) tal… que, sinceramente, considero-a fora do alcance das média das mentes dos actuais universitários da USC. Se fosse isto último, chapéu!

  • maceirax

    Moito me temo que (coñecendo) a cousa puidera acabar en “yo” -ou nalgo peor-, pero xenial de todas todas. Un saúdo para todas as cousas vivas.

  • a opción 1 recórdame algo ao típico chiste de mafalda no que aparecía unha pintada na parede que dicía “CENSU”
    e ela pensaba: “o se le acabó la pintu, o no pu termi por razo que son del domin publi”
    //www.vermelho.org.br/diario/2004/0930/mafalda-tira1.jpg

    de todos os xeitos, xa sabe o que opino das pintaditas.
    pintaditas, non/não/nom!

www.000webhost.com