Viva a República… Galega!

Tal dia como hoje do ano 1931 aprovava-se a Constitución (Carta Magna) da II República Espanhola. Como é sabido, período republicano estendeu-se até 1936, data utilizada por simples convenção, já que a república continuou em certo sentido até praticamente o fim da guerra em 1939 (mais nuns lugares do que noutros, bem é certo).

Existe uma tendência na esquerda galega consistente em proclamar esse período como um dos mais prósperos da nossa história polas conquistas do galeguismo, em particular pola aprovação do I Estatuto de Autonomia da Galiza.

Sem negar que se tratou de um período fundamental para o nosso país (a existência desse estatuto permitiu que após a morte de Franco a Galiza acedesse à autonomia pola chamada via rápida, o das nacionalidades históricas), cumpre assinalar que o texto não se chegou a aplicar, já que a aprovação chegou um 28 de Junho e a guerra começou a 17 de Julho, sendo a Galiza foi um dos primeiros territórios conquistados pola extrema direita espanholista.

Essas e outras questões fazem que, para mim, o período republicano não simbolize grande cousa, fora de constatar, para mim, uma necessidade: a da República Galega.

República Galega

  • “A existência desse estatuto permitiu que após a morte de Franco a Galiza acedesse à autonomia pola chamada via rápida” passando, dito seja de passagem e com perdão da expressão, como da merda do Conselho da Galiza, o governo galego no exílio, e do seu Presidente, Antón Alonso Ríos (//seioque.com/index.php/colabora/jenarojesus/ar-alonso-rios). Saúde e República! Galega, evidentemente!

    • Totalmente de acordo contigo, prezado e preclaro amigo 🙂

      Estamos fartos de ser uma colónia!
      Queremos ser uma república!

      🙂

  • e cales serían as fronteiras da súa república? 😀 é que vexo no mapa de aí arriba que ao país lle engordou un pouco o cu e que lle saíron “michelíns” polas costas… 😀

    • Interessante questão que vou contestar no post de amanhã 🙂

  • e cales serían as fronteiras da súa república? 😀 é que vexo no mapa de aí arriba que ao país lle engordou un pouco o cu e que lle saíron “michelíns” polas costas… 😀

    • Interessante questão que vou contestar no post de amanhã 🙂

  • Pingback: :: madeira de uz | Os limites da nação galega()

  • Pingback: :: madeira de uz | Os limites da nação galega()

  • ok; eu esta noite (ás 22.00 hora imposta galega) hei falar de mocos…

    …mire que temas tan diverxentes… 😀

    • A verdade é que sim… 😀 Medo me dá o que possas fazer falando de mocos, Boo-chan 🙂

  • one2

    o MNCG nom opina o mesmo //www.geocities.com/rocastelo/ 😀

    Eu quero ũa república onde o presidente seja chamado rei, que mola máis xDD

  • one2

    pois nom che sei, eu tamém me tenho perguntado isso.

  • Pingback: Os limites da nação galega - Madeira de Uz()

www.000webhost.com