Toponímia: culpável da demora das infra-estruturas

póvoa do caraminhalO pepedegá volveu evidenciar no Parlamento o seu nulo interesse pola língua do país. A cousa começou quando o porta-voz nacionalista em assuntos marítimos (Bieito Lobeira) promovia uma iniciativa (secundada por toda a Câmara) para lhe reclamar ao Ministério espanhol de Fomento que respeite em toda a sua documentação oficial o nome correcto dos topónimos da Galiza. Isto é, que se deixaram de fazer castelhanizações estúpidas como Vivero por Viveiro.

A isto, um dos pepeiros respondeu mais ou menos o seguinte: «se o BNG colocar o mesmo interesse nas infra-estruturas como na toponímia, há bem tempo que o comboio de alta velocidade estaria muito mais perto [da Galiza]».

Particularmente acho que é muito difícil que uma infra-estrutura possa chegar ao lugar adequado se nos papéis se lhe indicam lugares inexistentes. Ou seja, que vejo bastante complicado que possa chegar, ponhamos por caso, um comboio de alta velocidade a Villalba, uma auto-estrada  a La Puebla del Caramiñal ou se construa uma nova ponte para agilizar o tráfego em Viana del Bollo. As cousas, polo seu nome, e os lugares, polo seu também 😉

P. S.: avante Sinaliza!

000webhost logo