Normalizar o galego, impor o castelhano

Polos vistos, o novo partido político da ex-PSOE Rosa Díez, UPyD, aposta por derrogar a Lei de Normalização Linguística da Galiza. Ao seu entender, sob o nome «normalização» iria implícita uma certa imposição.

Pois menos mal que alguém se dá de conta desta realidade. Com efeito, a LNL implica, quer queiramos quer não, uma certa imposição. Imposição, é claro, exercida desde o Governo (ou seja, desde a Junta), como acontece em todos os países. Uma Junta, a galega, cujos poderes emanam directamente da Constituição espanhola e de El-Rei.

E falando e Constituição… apostará UPyD por derrogar o artigo da Carta Magna espanhola que estabelece a obriga de conhecer o castelhano? Apostará este partido por derrogar o sem número de leis e preceitos legais vários que decretam contextos obrigatórios para este idioma e que garantem a sua primazia sobre o resto de línguas faladas no Reino da Espanha?

+ Artigos relacionados:

Quase três séculos de imposição [artigo no diário espanhol El País, 29/04/2001]

www.000webhost.com