Circulação nas rotundas e falta de educação viária

Alguém viveu alguma destas situações guiando um carro?

circular-nas-rotundas-corretoA) Entramos numa rotunda pola via externa, queremos seguir de frente e no meio da nossa acção um veículo da via interna mete-se-nos na frente, as mais das vezes sem ter activado o intermitente direito. Se protestamos, o que se nos meteu diante costuma ter mais a dizer do que nós.

B) Entramos numa rotunda pola via externa e queremos fazer câmbio de sentido… repete-se o mencionado anteriormente, assim como muitas vezes as más formas se reprocharmos a atitude do outro piloto (costumam ser homens os mal-educados protagonistas destes episódios).

C) Levamos um bom naco intentando aceder a uma rotunda e vendo como a maioria dos carros a abandonam pola saída anterior à nossa (sendo, neste caso, a primeira saída para eles e não a segunda, que seria seguir de frente) sem terem posto o correspondente intermitente, o qual nos faria saber com antecipação que saiam e nos aforraria tempo de espera.

Há, com efeito, muitos mais exemplos, e em todos eles se demonstram duas cousas: falta educação (no carro e não só), e falta educação vial. Se alguém se viu nalguma destas três situações saiba que:

1.- No acesso à rotunda têm preferência os que se incorporarem pola esquerda, agás que a sinalização disser o contrário.

2.- Uma vez dentro deste elemento, os veículos da via externa têm preferência sobre o interno, portanto está proibido saltar de dentro para fora sem adverti-lo com sinais ópticos e sem esperar a que os veículos do externo permitam que saiamos.

3.- A rotunda-tipo costuma ter ao menos três saídas. É obrigatório o intermitente direito para indicar que saímos na primeira (“saída pola direita”) , optativo se colhermos a segunda (“seguir de frente”), e de novo obrigatória ao sairmos pola terceira (“câmbio de sentido”, “saída pola esquerda”). Também é obrigatório que no acesso à rotunda indiquemos previamente com o intermitente esquerdo que pretendemos sair pola esquerda ou fazer câmbio de sentido (e lembrar activar logo o direito na saída). Para as rotundas com duas saídas cumpre fazer o mesmo só que obviando o indicado para “seguir de frente”. De resto, é obrigatório o direito para quaisquer outras saídas.

4.- Para circular com problemas recomenda-se que no acesso à rotunda tenhamos clara qual será a nossa saída para nos termos incorporado com antecipação à via correspondente: o direito para sairmos pola direita (1ª saída) ou de frente (2ª saída); o central ou o esquerdo para os demais casos. Mas sempre cumpre lembrar que ao circular polo esquerdo terão preferência os da direita e que não nos podemos meter por diante deles (e menos sem pré-aviso) para sair. No caso de não podermos sair, damos uma nova volta por dentro da rotunda, ou duas ou três, até podermos sair sem problema.

Nota: artigo dedicado a todos os descerebrados que diariamente conduzem polas rotundas compostelanas da Rocha e da Galuresa.
  • Eu entrei numa rotunda em 1999 e todavia estou a dar voltas. Tá complicado.

    Começa a ser irritante. 😐

www.000webhost.com