Bélgica e a ceia em galego

Segundo artigo consecutivo sobre Bélgica. Com efeito, é um Estado que namora, especialmente a sua capital, Bruxelas, talvez a verdadeira e única cidade europeia. Em Bruxelas praticamente todas as pessoas falam ao menos dous idiomas (francês e neerlandês/flamengo), e a maior parte (sobretudo nos comércios) costumam dominar três (francês, neerlandês/flamengo e inglês) e arranham também algum outro (geralmente alemão, italiano, português ou castelhano).

Numa ocasião com um grupo de companheiras e companheiros fomos cear a um estabelecimento equivalente às cafetarias-restaurantes para gente universitária. Éramos várias pessoas e pedimos a ceia em vários idiomas diferentes, a saber: dinamarquês, alemão, francês, inglês… e galego.

Não se tratava apenas do nome dos pratos, mas também das bebidas e da sobremesa, quantidades, etc. No meio dos risos das pessoas que nos atenderam, engraçadas com a stiuação, e também entre os nossos próprios risos, tudo foi servido à pessoa indicada, sem falhas, com sal ou sem sal, com molho ou sem ele, com tal ou qual mudança de ingrediente. Tudo perfeito e sem que tivéssemos de fazer aclarações adicionais.

Alguém consegue imaginar algo similar na ‘plural’ Espanha, que se pedes algo num idioma que não seja castelhano a melhor reacção pode ser uma cara de surpresa, quando não de nojo? Na mesma Espanha onde a reacção mais habitual para não-falantes da língua cervantina é «no entiendo» / «habla castellano»?

000webhost logo