Quinze anos sem Asimov (eu também)

Ignorava exactamente a emeféride do passamento do grande divulgador científico Isaac Asimov: foi o passado 6 de Abril (obrigado, Fer). Particularmente fico com o seguinte extracto:

Pode parecer umha parvada, falamos dum divulgador científico e um escritor de novelas de sci-fi, umha pessoa que nom conhecim na vida, mais quando naquela época pre-internet (e pre-instantaneidade do conhecimento) soubem da sua morte… chorei. E ainda hoje quando escrevo isto… choro.

Com certeza, as palavras do companheiro Fer posso fazê-las perfeitamente minhas, porque eu também fui um seguidor (seródio) da obra de Asimov. Ainda hoje guardo como tesouros dous volumes seus, das primeiras edições chegadas às Espanhas, intitulados El origen del universo (cito de memória, pois tenho-os na minha biblioteca caseira), volumes I e II. Também alguma novela em V.O. como Nemesis.

Curiosamente, o que primeiro conheci dele foram os cómics, por volta dos 7 anos (mercê a um tio meu bastante freak [e actualmente engenheiro de sistemas electrónicos]), lá polo ano 1991, escassamente um ano antes de ele morrer. Infelizmente, perdi-os numa inundação que mos deixou inservíveis (juntamente com outros clássicos do cómic estado-unidense).

Não soube mais sobre o Isaac Asimov e o seu trabalho (fora da faceta literária) até já ele ter falecido. Uma mágoa. Acho que poucos divulgadores tão interessantes, preparados e imaginativos teve a ciência contemporânea.

Asimov - Afonso

. . . . .
NOTA: alguém mais vê alguma semelhança entre o Isaac Asimov (esquerda) e o Zeca Afonso (direita)? Podem ser os óculos, mas procurai mais fotografias no Google e vereis… :-p

www.000webhost.com