Louxo La Toja: educación es no hablar en gallego

gz qualidade louxo-la tojaAinda estou alucinando. O hotel Louxo-La Toja resulta que proíbe ao quadro de pessoal falar em galego (eis a prova). Tantos e tantos anos de Estatuto, leis de normalização, etc., etc., e resulta que todo fica em papel molhado, porque todas e todos sabemos que neste paisinho nosso existe, hoje igual que antes, a discriminação linguística.

Por certo, que olhando a web do citado complexo hotelário podemos ver que está reconhecido com a distinção de Galicia Calidade. Igualmente, no sítio web da marca podemos ver algum bâner publicitanto deste hotel. Lembremos que GC é uma marca que depende da Conselharia de Inovação e Indústria, departamento gerido polo Bloco Nacionalista Galego… Nem sei, ocorre-se-me que talvez negar a uns trabalhadores o direito de se exprimirem na língua da Galiza deveria, ao melhor, supor uma merma na distinção de ‘qualidade’ que actualmente ostenta o hotel.

Pode ser que realmente eu seja radical de mais. Gostaria de saber como reagiriam os meios de comunicação ‘sérios’ se algum complexo hotelario (na Catalunha, por exemplo) proibisse aos seus trabalhadores falar em castelhano.

normas hotel louxo-la toja

. . . . .
VIA: Chuza!

www.000webhost.com