245, 246, 247, 248, 249… a conta acaba aqui, de momento

uzesMuito choveu já desde aquele 15 de fevereiro de 2005. Foi nessa data que dava eu os primeiros passos de Madeira de Uz, o segundo blogue criado por mim. Contrariamente ao anterior, este espaço nasceu como necessidade de terapia pessoa, já que eu não me encontrava no meu melhor (quem me ia dizer que atoparia a mencinha apenas uma semana depois 😉

O caso é que me serviu de terapia, digo, mas não só. Frustradas dous meses atrás as minhas ilusões de acabar em certo meio de comunicação digital, como bom amante da tecnologia e como pessoa que “gosta de foçar no código fonte” (piropo de Manolo ;), utilizei o blogue como campo de provas tanto no que tem a ver com o desenho quanto o uso de todo tipo de gadgets. Decerto, andar chafulhando na faceta técnica aumentou os meus conhecimentos (sobretudo no uso das CSS). Igualmente, a prática de enviar periodicamente artigos também me valeu para simplificar a minha escrita e adequá-la aos parâmetros da redacção web.

Tampouco devo esquecer que, da mesma forma que acontece com os blogues de outras pessoas, o meu teve a sua origem numa necessidade de comunicar. Por sorte para mim, esta necessidade ainda a mantenho, mas nos últimos meses surgiram-me outras formas de canalizá-la. Trata-se, porém, de projectos que requerem de mim maior atenção da que precisam os textinhos, artiguinhos e rarezas-feaks que periodicamente deixo por estas terras antano bravas e hoje bastante lavradas.

No tempo que geri MdU (abreviarei; que, se não, hei cansar), já disse que aprendi muito, mas também conheci muita gente (conheci gente que não conhecia, mas creio necessário dizer que, apesar da contradição aparente, também conheci gente que já conhecia). Agradeço muito o tom amável de todos os comentários, já que penso que agás os do spam, mais dos 90% foram benévolos (e isso que me esforcei por provocar, mas sem muito sucesso ;-).

E agora, fazendo paripé, abre-se o turno de perguntas:
1.- Por que abandonas o blogue?
2.- Volveremos-te ler?
3.- Como valorizas os 18 meses com MdU?
4.- Combinamos para um café?

Como dizia Jack O Destripador, “vamos por partes” X-D

1.- Desde que criei o blogue, as poucas ocasiões nas que o deixei algo ‘dormido’ foram por falta de tempo. Desta volta não sucede isso, já que tenho bastante tempo livre e (por desgraça para mim) em duas semanas terei ainda mais tempo livre, se nada o remediar (enviem as suas ofertas para madeiradeuz @ gmail .com ;-). Acontece que, como dizia acima, estas terras antano foram bravas (estavam cheias de uzes/urzes/vreixos/carqueijas), mas actualmente estão já bastante lavradas. Isto, traduzido, quer dizer que fui mudando a perspectiva a partir da qual originalmente escrevia o blogue… e mesmo nos últimos posts parecia-me estar regressando ao começo. Quando isto se passa, quer dizer que acaba um ciclo, polo que estimo finalizado o périplo por MdU.

2.- Creio que a estas alturas, todas e todos já sabeis onde me atopardes. A triste resposta para vós é que sim, continuareis tendo a possibilidade de me lerdes e escuitardes por aí. No que tem a ver particularmente com os blogues, é seguro que volverei ter um espaço de meu, mas em todo caso seria com outro nome e com outra temática. Claro que isto último, o da temática, vai ser difícil de cumprir por culpa de um defeito meu: que sou demasiado meu. Quer dizer, todas as minhas iniciativas parecem ter um selo próprio doadamente identificável… nem sei onde é que está, mas está, e todos os meus rios acabam por dar ao mesmo mar.

3.- À vista das linhas anteriores creio que é evidente a minha valorização é muito positiva. Decerto, é o projecto pessoal do qual me enorgulho mais. E isso devo-vo-lo a vós em geral e a TI em particular.

4.- Com certeza, e tendes ao vosso dispor o meu endereço electrónico 🙂

Noutro género de cousas, não deixa de ser irónico que anuncie a fim do blogue apenas uns dias após ter dito que o Blogger já borra os blogues que levam muito tempo inactivos por confundi-los com o spam. Também é paradoxal esta despedida vir após um bom amigo meu ter retomado o seu blogue por culpa da minha pressão.

Enfim. Nunca gostei dos posts quilométricos, e não gostava de este, por muito especial que for, ser a excepção à regra. Se mo permitis (espero que sim, já que ao largo destes meses mo permitistes quase tudo 🙂, queria reservar as palavras finais deste blogue para uma pessoa que é muito especial para mim.

Essa pessoa, foi durante 18 meses o motor de MdU, e foi-no por muitas razões. Sem sabê-lo, levou-me a criar o blogue. Já criado, ajudou-me a criar alguns dos posts. Quando me faltavam ideiasm deu-me inspiração ou directamente disse-me “podes pôr isto no blogue”, também me ajudou com o redesenho gráfico, foi profundamente crítica com as falhas que ia vendo no blogue, fazendo com que as melhorasse o mais aginha possível… a lista de apoios teus ocuparia um blogue inteiro. É por ti e por vós que este blogue finaliza da seguinte forma: OBRIGADO!

000webhost logo