Aposta polo género do lixo na TVG

Continuo expectante por ver quando será que a TVG mude a sua imagem corporativa (primeiro para 11 de setembro, depois para 18… isto não é sério!). Mas se algo espero ainda com maior impaciência é ver quando se aposta, definitivamente, por uma televisão concibida como serviço público, como aposta de qualidade e não como aposta de audiência.

Por enquanto, e via Chuza!, o que acabei de comprovar que a TVG sim vai é apostar polo género do lixo, do tele-lixo para ser preciso. Refiro-me ao reallity-show de época que estreará a cadeia pública e da qual deixo um vídeo promocional:

Programar estes subgéneros da imundícia televisiva apenas pode perseguir tirar de audiência em detrimetno de qualidade. Estes subprodutos são de consumo maciço, e a sua estratégia de programação baseia-se em inundar as faixas horárias ‘acesso ao meio-dia’ (12h-13h) e de tarde (16h-19h) de conexões em directo ou resumos a esta escoura. Não se trata, pois, de uma proposta pontual, mas de uma aposta em toda regra que provocará consequências. Ao tempo.

  • Fer

    E ademais um programa em parceira com umha marca de cerveja…

  • marykinha

    Terían que meter aos productores e aos xenios da idea, a casa, dous aniños e en condicións máis extremas que as que se vivían en 1906…. que dexeneración….

  • A Randeeira

    Como agarden aumentar audiencia co tele-lixo van de cu. Pois si que fan moito este programas polo país.

  • anónima

    Pois a audiencia subeu, e de telelixo non ten nada. Como visionarios, dende logo, non tendes prezo. Se Nostradamus levantara a cabebeza…

www.000webhost.com