Outras formas de relacionamento

Social NetworkAtopava-me o outro dia batendo papo com uma pessoa que não conheço fisicamente, mas com a qual tenho trocado muitas opiniões. Não é nada do outro mundo, mas a tod@s nos passa nestes tempos que correm. Por exemplo, é algo que me passa constantamente cada vez que participo em Chuza.

E foi nestas que me veio a pergunta filosofal e perguntei: “os que nem são amigos nem conhecidos, mas chateias de quando em quando ou debates num foro e trocas ideias, o que vêm sendo?

A minha interlocutora tinha-o bem claro: “para mim são conhecidos; conhece-los de falar com eles e pouco mais”. A verdade é que isto é certo, mas dá-se a circunstância de que com muitos desses conhecidos, às vezes, falas ou concordas mais que com os teus próprios amigos. Não se tratará de um termo médio? Não será que se trata de uma nova forma de relacionamento?

Ante esta implicação sócio-evolutiva, a pessoa do outro lado do ecrã apostilou: “nem há trato nem relação”. Permiti-me discordar porque, comentei, “nalguns casos falas mais e concordas mais que com gente com a qual te levas”. Esta apreciação minha recebeu boa resposta: “é o que tem ir renovando… conhecidos??

Se calhar sim. É possível que não sejam novas formas de relacionamento, mas um termo médio do que já existe, e parte de um processo de renovação: igual que renovamos amigos, se calhar o relacionamento electrónico apenas seja renovar conhecidos. Nem sei. Eu, por enquanto, sigo com esta dúvida e-existencial.

E vós que dizeis, minhas conhecidas e meus conhecidos ;^)?

Nota: post dedicado a María (obrigado pola conversa!)

000webhost logo