Paranoias, lerchadas e desvarios de Ferrín, o salvador de pátrias

Hoje, segunda-feira, o escritor Xosé Luís Méndez Ferrín regala-nos com mais uma entrega da sua secção Segunda Feira. Desta volta, e como o título de «CIES no horizonte», o escritor ourensano fincado em Vigo informa-nos e justifica-nos (d)o pacto entre a FPG e Izquierda Unida para as eleições à Câmara Municipal de Vigo (com possível extensão à de Cangas do Morraço).

Resulta complicado perceber a justificação que dá este lercho ‘salvapátrias’. O mesmo Ferrín que se nega a colaborar com os meios de comunicação reintegracionistas por considerá-los “inimigos da Pátria” (sic), colabora sem reparos aparentes no jornal em espanhol «Faro de Vigo» e agora pretende vender-nos a moto de um pacto entre os seus supostos republicanos galegos e os comunistas espanhóis.

Tenho curiosidade por saber qual pode ser o grau soberanista da nova opção proposta por Ferrín. E qual é que é a Izquierda Unida com a qual pactuou? A da Yolanda Díaz? Talvez a do Llamazares? Análoga à catalã ou mais bem à basca? Tirará mais cara a IU andaluza? Porque o que é galega, galega… muita presença, voz própria ou importância creio que não tem.

Apenas um dato: nas últimas eleições, IU tivo 12.199 votos, enquanto a FPG somou 2.692. Parece patente que não vai ser uma aliança inter pares, principalmente quando um dos dous braços é cinco vezes superior à outra (por enquanto). Como? Que ainda há mais dous componentes a ter em conta? Pois sim, uma de tantas facções do comunismo (e das mais ortodoxas e com menos penetração social) e republicanos da Galiza (ou serão republicanos galegos?).

  • xávi

    Nom lim o artigo, mas suponho que estás a falar do das eleições ao Concelho de Vigo e outros nom? Em Vigo polo que eu lera vam com outras organizações, como Unidade da Esquerda Galega.

    O penoso é que nom tenham problema em pactar com IU e depois deixem de apoiar as Bases Democráticas Galegas e vaiam pola sua conta no dia da pátria, além do mais montando umha fantasmagórica “plataforma”. Enfim..

  • Uz

    Pois sim, Xávi, era para o Concelho de Vigo. Já matizei esse aspecto e corrigim também o parágrafo final, que tinha uma falha.

  • xávi

    Em qualquer caso eu nom sou contrário a esse tipo de alianças em plataformas, por mui amplas que sejam e cheguem a incluir a IU. Tendo em conta o antidemocrático sistema eleitoral, pode ser a única forma de obter algum resultado.

  • Uz

    Faltaria mais!

    Eu também não tenho nada na contra. Mais que a aliança, venho criticar a incoerência de Ferrim, que parece que lhe dá nojo o reintegracionis:: ferrínmo, mas não o facto de colaborar no Falo.

    E politicamente nem se achega a Nós-UP (será porque defendem a “autodeterminaçom” e ele a “autodeterminación”?), mas agora arrima-se a IU…

    Que não nos venha de salva-pátrias e diga ,claramente, que o que lhe interessa é o poder; como quando renegou dos mínimos e entrou na RAG.

    Enfim, todos sabemos que somos “nós” os inimigos da Pátria. Ter ouvidos para escuitar isto…

  • XM Carreira: Caixa do Mendinho

    Também não é bom ser tão crítico. Evidentemente este casal IU-FPG é fruto de necessidade, mas acho que pode vir a ser uma opção interessante.

    Muitas das críticas que recebe o Méndez Ferrín são devidas ao seu isolacionismo (e não só o normativo). Embora muitas vezes ele diga coisas erradas e oportunistas, muitas vezes diz verdades que doem mas que não deixam de ser verdades.

www.000webhost.com