Galega sem complexos

Isto é uma história baseada em acontecimentos reais…

Querido diário,

ontem fum a Bustelo, uma pequena localidade do norte de Portugal, para tocar com as companheiras e companheiros do grupo.

Fomos convidados para uma actuação musical, e acudim com a ilusão própria de quem vai fazer uma viagem internacional e quer deixar bem alto o pavilhão da sua gente.

A primeira impressão não me agradou grande cousa: uma enorme faixa falava de um “encontro folque luso-espanhol“, onde tocariam “4 grupos portugueses e 1 espanhol“. Recei para não ser do grupo espanhol, mas creio que já era tarde.

Estacionámos. Baixo do auto-carro e recebe-nos um senhorinho já algo maior com uma gorra na cabeça que põe “100% Spain“. O homem, contrariamente ao que poderia indicar a gorra, é e fala português. Vergonha alheia.

Próximas/os da actuação, alguém nos pergunta “e de que parte da Espanha sóis?”. No limite da minha paciência, aclaro que não vimos da Espanha, mas da Galiza. “Aaaa…! Da Galiza…! Ahhh…! Tá bom, tá bom”.

Justo antes de actuarmos, apresentam-nos. Agora somos “Da Galiza (Espanha)”. Pouca melhora, mas algo é algo.

Se alguém me chegasse a dizer “se Portugal não se classificar; ânimo, Espanha!”, poderia ter perdido a compostura.


Dedicado a uma moça 100% galician (sem complexos).

000webhost logo