Nostalgia da auga

Agora que nestes dias loze o sol, sinto algo de morrinha da chuva, do líquido elemento refrescando a pele e a cabeça. Bem sei que esta percepção minha não é compartilhada pola boa parte dos meus conterrâneos e das minhas conterrâneas, mas já se sabe que sobre cores não há nada escrito (realmente sim, mas é uma forma de falar).

chovemsantiago
Daí vem a pequena foto de riba destas linhas. Um instantâneo capturado no passado 27 de março diante do estádio compostelano de São Lázaro. É só um fragmento da auga caindo riba do duro solo urbano, com força e, apesar do gris do céu, criando um belo (e efémero) jogo de luzes. Uns instantes. O que se tarda em tirar uma fotografia.

www.000webhost.com