Estrangeiros na própria terra [I]

Hoje, pola primeira vez em muito tempo, sentim-me realmente como um estrangeiro no meu próprio país. Ou talvez, ‘estrangeirizado’. E não apenas eu só, mas também outras pessoas galegófonas coma mim. Por falta de tempo e de ânimo hoje não contarei mais, mas prometo amanhã ou como muito tarde passado dar em falar.

A metamorfose

Outro logótipo ———————————————- > e para adiante.   Suponho que haverá que ir-se afazendo…

As armas da lírica

Dizia um professor meu que «um poema pode erguer um país». E, com efeito, não lhe faltava razão; isso mesmo aconteceu o 25 de Abril de 1974.

A obriga de desconhecer o galego e Gibraltar

Ainda não me recuperei do nojo de ler um comunicado injurioso contra parte dos representantes eleitos polos galegos e as galegas.

A obriga de conhecer o galego

Não hão-de tardar os zómbicos de sempre em clamar ao céu considerando intolerável este posicionamento, e não me refiro só aos Calaza da vida e de sempre.

Nostalgia da auga

Agora que nestes dias loze o sol, sinto algo de morrinha da chuva, do líquido elemento refrescando a pele e a cabeça. Bem sei que esta percepção minha não é compartilhada pola boa parte dos meus conterrâneos e das minhas conterrâneas, mas já se sabe que sobre cores não há nada escrito (realmente sim, mas … Ler mais

Vittoria dei coglioni

Certificou-se a derrota de Silvio Berlusconi, Il Uomo, ‘O Homem’. O pequeno-homem Estado, que conseguira centrar na sua figura meia dúzia de canais de TCertificou-se a derrota de Silvio Berlusconi, Il Uomo, ‘O Homem’. O pequeno-homem Estado, que conseguira centrar na sua figura meia dúzia de canais de TV, estações de rádio e jornais; meter no bolso juízes e fiscais, refazer a legalidade ao seu antolho para esconder as suas misérias; apagar a contestação pública com pão e circo; mesmo mercar uma prestigiosa equipa de futebol.V, estações de rádio e jornais; meter no bolso juízes e fiscais, refazer a legalidade ao seu antolho para esconder as suas misérias; apagar a contestação pública com pão e circo; mesmo mercar uma prestigiosa equipa de futebol.

Para mono, Bono

José Bono: «Me siento español hasta los tuétanos. ¿Cómo no me va emocionar una patria que cuando otros estaban en los árboles ya estaba descubriendo América y que, si no existiera, dejaría el mundo incompleto?».

Parecidos razoáveis: Villarino-Hawking

Não são as melhores imagens de nenhum dos dous (hoje, o Google Images estava algo repunante), mas… sou o único que lhes vê algum parecido?

O melhor de cada casa

É um instantâneo do Edifício Fenosa de Compostela. A Cope, Vodafone, Unión Fenosa… mais à direita estava Auna-Duatel, mas já não me colhia. Arrepio dá passar por diante disto todos os dias…

000webhost logo